UMDicasPublicidade
 
             
  Autenticação/Login
 
Homepage
Mapa do Site
Contactos
email webmaster
   
  imprimir
voltar 
Miguel Cabrita acredita no “retorno do investimento” feito na qualificação e educação     Miguel Cabrita acredita no “retorno do investimento” feito na qualificação e educação
UMinho,sexta-feira, 16-06-2017

O Seminário "Ser Diplomado do Ensino Superior: Escolhas, Percursos e Retornos", promovido pelo Observatório dos Percursos Académicos dos Estudantes da UMinho (ObservatóriUM), contou, no seu encerramento, com a presença do Secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita.
 


O Seminário visou a divulgação de estudos sobre a empregabilidade de diplomados e o retorno económico da formação académica e, segundo a Vice-reitora para a Qualidade e Avaliação, Graciete Dias que esteve na sessão de abertura do evento foi objetivo deste a "partilha de resultados". A responsável sublinhou a importância do estudo e do Seminário, visto conterem informações "importantes para os estudantes e para as instituições" no sentido de traçarem os seus caminhos.

Este foi o terceiro seminário promovido pelo ObservatóriUM, sendo que os dois anteriores foram focados "nas transições do acesso ao ensino superior" como referiu a Ana Paula Marques do ObservatóriUM. Neste, o estudo foi focado "nas transições" à saída, pretendendo-se conhecer as trajetórias após o ensino superior, realçando o objetivo deste "pensar no futuro, nas profissões que estão a acontecer" disse.

No fecho do Seminário, Miguel Cabrita disse acreditar que "a prazo há sempre retorno do investimento feito na qualificação e na educação", sublinhando que é preciso "adequar a oferta educativa e formativa às pretensões das empresas", afirmando que o mercado de trabalho tem tido nos últimos anos "mudanças radicais em alguns sectores", como o caso do têxtil e do calçado, transmitindo que "a modernização não é suficiente para receber a mão-de-obra jovem qualificada, a mais qualificada que alguma vez Portugal teve".

Sobre a inserção no mercado de trabalho, o governante destacou "as competências transversais" como fundamentais e fatores de diferenciação para os empregadores, sublinhando que também "os empregadores têm que se adaptar", bem como as entidades educativas e formativas, referindo que é para responder ao presente e ao futuro do mercado de trabalho, que já está aí a economia digital e a indústria 4.0.

 

Texto: Ana Marques

Fotografia: Nuno Gonçalves

 

(Pub. Jun/2017)


(Pub. Jun/2017)

 
voltar 
 
  domingo, 22.10.2017 |  © 2017 UMDicas / SAS